BISPO DIOCESANO

D. NUNO BRÁS DA SILVA MARTINS

BISPO ELEITO DO FUNCHAL

Caríssimos cristãos da diocese do Funchal

Recebi há dias a notícia de que o Papa Francisco me envia para junto de vós como vosso Bispo. Acolhi esta decisão do Santo Padre com um misto de temor e confiança: temor porque tenho consciência das minhas limitações; confiança porque sei que Jesus estará sempre comigo e não me abandonará.

Neste momento, quero saudar-vos a todos. Quero saudar as muitas comunidades

da Madeira e do Porto Santo que, na nossa região ou no estrangeiro, louvam o Senhor e procuram viver o Evangelho. Quero fazê-lo com as mesmas palavras do Apóstolo: "A graça e a paz de Deus nosso Pai e de Jesus Cristo nosso Senhor, estejam convosco" (Ef 1,1).

Mas deixai que, nesta ocasião, me dirija com uma especial gratidão aos Senhores D. António Carrilho e D. Teodoro de Faria, a quem, de há muito, me ligam laços de sincera amizade. Depois, deixai que saúde todos os sacerdotes que servem a nossa diocese, bem como os membros das famílias religiosas que, na Madeira, dão testemunho de uma total consagração a Jesus. E que saúde ainda todas as autoridades civis e militares, em particular aqueles que foram eleitos pelos madeirenses como seus legítimos representantes.

A nossa diocese celebrou há pouco os 500 anos da sua existência. É uma comunidade marcada pela maturidade da fé e pela missão. É o primeiro fruto eclesial da expansão atlântica portuguesa. Agora cabe-nos a nós a missão de sermos testemunhas da vida nova que Jesus oferece sempre e a todos.

É dessa vida que o Bispo deve ser a primeira testemunha. É dessa vida nova - o Evangelho - que quero dar testemunho, enquanto Deus me der forças e saúde. Sempre e em toda a parte.

Quero confiar desde já o meu ministério como Bispo do Funchal à intercessão de Nossa Senhora do Monte e do Apóstolo São Tiago Menor, padroeiros da nossa diocese e do Beato Carlos de Áustria.

Conto convosco no desempenho desta missão: com a vossa fé, a vossa esperança e a vossa caridade. Saúda-vos o

+ Nuno, Bispo eleito do Funchal



BISPOS EMÉRITOS:

D. António José Cavaco Carrilho

Nascimento 11/abril/1942 

Naturalidade Loulé - Algarve 

Ord. Presbiteral 28 de julho de 1965 na Sé de Faro 

Ord. Episcopal 29 de maio de 1999 na Igreja de S. Pedro do Mar, em Quarteira, Diocese do Algarve 

Nomeação Episcopal 8 de março de 2007, pelo Papa Bento XVI para Bispo do Funchal 

Tomada de Posse 19 de maio de 2007 

Resignação 12 de janeiro de 2019 

Bispo Emérito 17 de fevereiro de 2019 

Curriculum D. António José Cavaco Carrilho, filho de Alexandre Bento Carrilho, e de Isabel de Jesus Cavaco, já falecidos, nasceu em Loulé (Algarve), no dia 11 de abril de 1942. Entrou no Seminário de Faro em outubro de 1953, fez os cursos filosófico e teológico no Seminário dos Olivais, em Lisboa, e foi ordenado sacerdote pelo Bispo D. Frei Francisco Rendeiro, o.p., na Sé de Faro, no dia 28 de julho de 1965. Durante doze anos exerceu a sua atividade pastoral na Diocese do Algarve, como Diretor Espiritual do Seminário (1965-1970), Pároco da Conceição de Faro (1965-1967), Secretário Diocesano da Pastoral das Vocações (1965-1973), Assistente do Escutismo e de vários organismos da Ação Católica (1965-1977), Diretor Espiritual do Secretariado Diocesano dos Cursos de Cristandade e membro do Secretariado Nacional do mesmo Movimento (1974-1977), Professor de Educação Moral e Religiosa Católica no Liceu e na Escola Preparatória D. Afonso III, em Faro (1970-1972/77), Secretário Diocesano de Pastoral (1970-1973) e Vigário Episcopal para a Coordenação Pastoral (1973-1977). Em outubro de 1977, foi para Lisboa, onde frequentou a Universidade Católica Portuguesa, licenciando-se em Teologia. Trabalhava, então, nos órgãos da Conferência Episcopal Portuguesa, destacando-se o seu trabalho como Secretário da Comissão Episcopal da Educação Cristã (desde 1978) e Diretor do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), desde dezembro de 1980, tendo a seu cargo, como representante da Igreja, os contactos com o Ministério da Educação, em matéria de educação e ensino. Também por nomeação do Episcopado foi Presidente das Comissões Nacionais Católicas para as celebrações do Ano Internacional da Criança (1979), do Ano Internacional do Deficiente (1982) e do Ano Internacional da Juventude (1985). No campo editorial, D. António Carrilho foi Coordenador Geral da vasta gama das edições do SNEC e autor de vários trabalhos no âmbito da educação cristã e catequese, nomeadamente, programas e manuais para o ensino religioso nas escolas, conferências em congressos e jornadas nacionais e diocesanas, e artigos em publicações da especialidade.

Em 2 de fevereiro de 1996, foi nomeado Cónego da Sé de Faro, por D. Manuel Madureira Dias, Bispo do Algarve. Nomeado pelo Papa João Paulo II Bispo Titular de Tamalluma e Auxiliar do Porto, em 21 de fevereiro de 1999. D. António Carrilho desempenhava, nessa data, as funções de: - Diretor do Secretariado Geral do Episcopado; - Diretor da Lumen - revista de reflexão e documentação pastoral; - Membro da Comissão Paritária Igreja/Estado para estudo e resolução dos problemas do património cultural de interesse comum; - Assistente Religioso da Residência Universitária "Domus Nostra" da Sociedade das Filhas do Coração de Maria, em Lisboa, assegurando aí também a assistência religiosa ao Bairro Santos - Paróquia Nossa Senhora das Dores, anexa à de Nossa Senhora de Fátima. - Conselheiro Espiritual do Movimento de Casais das Equipas de Nossa Senhora. A ordenação episcopal de D. António Carrilho realizou-se na Igreja de S. Pedro do Mar, em Quarteira, Diocese do Algarve, na tarde do dia 29 de maio de 1999 - Liturgia da Solenidade da Santíssima Trindade, sendo ordenante principal D. Manuel Madureira Dias, Bispo do Algarve e co-ordenantes D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, e D. Júlio Tavares Rebimbas, Arcebispo-Bispo Émerito do Porto e antigo Bispo do Algarve. Nesse mesmo dia recebeu a Medalha Municipal de Mérito-Grau Ouro da cidade de Loulé, sua terra natal, com que foi agraciado pelo Município local. D. António Carrilho iniciou as suas funções na Diocese do Porto, no dia 3 de junho de 1999, na igreja da Trindade, na celebração da Missa Estacional da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, a que presidiu o Bispo Diocesano, D. Armindo Lopes Coelho, que o nomeou Vigário Geral e lhe confiou a missão de acompanhar os sectores do Apostolado dos Leigos e da Educação Cristã e o Conselho Pastoral Diocesano. No âmbito da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. António Carrilho foi Vogal e Presidente da Comissão Episcopal do Apostolado dos Leigos e Vogal da Comissão Episcopal dos Bens Culturais da Igreja. Foi Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família. Atualmente é membro da Comissão Episcopal da Missão e Nova Evangelização. Em representação da CEP participou no Simpósio dos Bispos da Europa "Os Jovens da Europa na evolução - Laboratório da Fé" (Roma, 24-28 de abril de 2002); na XIX Jornada Mundial da Juventude "Vós sois o Sal da Terra, vós sois a Luz do Mundo", com o Papa João Paulo II (Toronto 23-29 de julho de 2002); na XX Jornada Mundial da Juventude "Viemos adorá-l'O", com o Papa Bento XVI (Colónia, 16-21 de agosto de 2005) e V Encontro Mundial das Famílias "A transmissão da Fé na Família", com o Papa Bento XVI (Valência, 2-9 de julho de 2006). Nomeado Bispo do Funchal, pelo Papa Bento XVI, a 8 de março de 2007 e tomou posse da Diocese do Funchal a 19 de maio de 2007.

D. Teodoro de Faria 

Calçada da Cabouqueira, 31 

9000-171 Funchal Tel. 

291 280 232 

Nascimento 24/agosto/1930 

Naturalidade Funchal 

Freguesia Santo António 

Concelho Funchal 

Ord. Presbiteral 22 de setembro de 1956 na Sé do Funchal Nomeação Episcopal 16 de abril 1982, pelo Papa João Paulo II 

Ord. Episcopal 16 de maio de 1982 na Igreja de Santo António dos Portugueses em Roma 

Tomada de posse 30 de maio de 1982 

Bispo Emérito 19 de maio de 2007