Bispos do Funchal

Bispos do Funchal

1. D. Diogo Pinheiro (1514-1526)

2. D. Martinho de Portugal (1533-1547)

3. D. Frei Gaspar (I) do Casal (1551-1556)

4. D. Frei Jorge de Lemos (1556-1569)

5. D. Frei de Távora (1569-1573)

6. D. Jerónimo (I) Barreto (1573-1585)

7. D. Luís (I) de Figueiredo de Lemos (1585-1608)

8. D. Frei Lourenço de Távora (1610-1617)

9. D. Jerónimo (II) Fernando (1619-1650)

10. D. Frei Gabriel de Almeida (1670-1674)

11. D. Frei António (I) Teles da Silva (1674-1682)

12. D. Estêvão Brioso de Figueiredo (1683-1689)

13. D. Frei José (I) de Santa Maria (1690-1696)

14. D. José (II) de Sousa Castelo Branco (1698-1725)

15. D. Frei Manuel (I) Coutinho (1725-1741)

16. D. Frei João (I) do Nascimento (1741-1753)

17. D. Gaspar (II) Afonso da Costa Brandão (1756-1784)

18. D. José (III) da Costa Torres (1784-1796)

19. D. Luís (II) Rodrigues Vilares (1796-1811)

20. D. João (II) Joaquim Bernardino de Brito (1817-1819)

21. D. Francisco (I) José Rodrigues de Andrade (1821-1838)

22. D. José (IV) Xavier de Cerveira e Sousa (1844-1849)

23. D. Manuel (II) Martins Manso (1849-1858)

24. D. Patrício Xavier de Moura (1859-1872)

25. D. Aires de Ornelas e Vasconcelos (1872-1874)

26. D. Manuel (III) Agostinho Barreto (1876-1911)

27. D. António (II) Manuel Pereira Ribeiro (1914-1957)

28. D. Frei David de Sousa, O.F.M. (1957-1965)

29. D. João (III) António da Silva Saraiva (1965-1972)

30. D. Francisco (II) Antunes Santana (1974-1982)

31. D. Teodoro de Faria (1982-2007)

32. D. António (III) José Cavaco Carrilho (2007-2018)

33. D. Nuno Brás da Silva Martins (2018-)


D. Diogo Pinheiro

D. Manuel Agostinho Barreto (1876-1911)

D. Aires de Ornelas e Vasconcelos (1872-1874)

BISPOS EMÉRITOS

BRASÃO DE D. ANTÓNIO CARRILHO

De azul, faixa de prata ondada, carregada com uma faixeta ondada de verde, entre três peixes de vermelho bem ordenados, os superiores em cortesia, acompanhada de chrismon de ouro, contido em aro do mesmo, e de estrela de oito pontas de prata. Chapéu negro forrado de verde. Cordões e seis borlas por lado de verde. Listel de branco com a legenda a negro: FAZ-TE AO LARGO. Cruz episcopal de ouro sotoposta ao escudo e ao listel.

As peças do escudo: a faixa ondada carregada com os peixes representa o mar e os peixes o Povo de Deus. A sua escolha articula-se com a legenda " Faz-te ao largo ", tirada do Evangelho segundo S. Lucas (5,4); simboliza também o mar do Algarve, donde o prelado é natural, e alude à igreja da sua ordenação episcopal: S. Pedro do Mar, em Quarteira.

A posição dos peixes superiores - em cortesia, isto é voltados um para o outro - é a usual, quando no escudo figura, como é o caso, algum símbolo representativo de Cristo, obrigando a que, por respeito, os animais se voltem para este símbolo.

O chrismon de ouro representa Cristo, ocupando o lugar mais honroso do escudo, o chefe. Encontra-se dentro de um aro a significar que a acção apostólica do Bispo se orienta para colocar Jesus Cristo no centro do mundo.

A estrela de prata é por excelência um símbolo mariano, aludindo às padroeiras da Sé de Faro e da Sé e da Cidade do Porto, onde o prelado iniciou o seu múnus como Bispo Auxiliar, e ainda a Nossa Senhora da Piedade, a Mãe Soberana, Padroeira da Cidade e do Concelho de Loulé, donde é natural. Também a Diocese do Funchal é especialmente dedicada à Virgem Santa Maria, tendo-a como Padroeira, sob invocações diversas, 48 das suas 96 paróquias, e a própria Diocese, sob o título de Nossa Senhora do Monte.

As Armas de Fé de D. António Carrilho são da autoria do Arq. Segismundo Pinto.


BIOGRAFIA E CURRÍCULO DE D. ANTÓNIO JOSÉ CAVACO CARRILHO

Nascimento 11/Abril/1942 Naturalidade Loulé - Algarve

Ord. Presbiteral 28 de Julho de 1965 na Sé de Faro

Ord. Episcopal 29 de Maio de 1999 na Igreja de S. Pedro do Mar, em Quarteira, Diocese do Algarve

Nomeação Episcopal 8 de Março de 2007, pelo Papa Bento XVI para Bispo do Funchal

Tomada de Posse 19 de Maio de 2007 como Bispo do Funchal

Curriculum D. António José Cavaco Carrilho, filho de Alexandre Bento Carrilho, e de Isabel de Jesus Cavaco, já falecidos, nasceu em Loulé (Algarve), no dia 11 de Abril de 1942. 

Entrou no Seminário de Faro em Outubro de 1953, fez os cursos filosófico e teológico no Seminário dos Olivais, em Lisboa, e foi ordenado sacerdote pelo Bispo D. Frei Francisco Rendeiro, O.P., na Sé de Faro, no dia 28 de Julho de 1965. Durante doze anos exerceu a sua atividade pastoral na Diocese do Algarve, como Diretor Espiritual do Seminário (1965-1970), Pároco da Conceição de Faro (1965-1967), Secretário Diocesano da Pastoral das Vocações (1965-1973), Assistente do Escutismo e de vários organismos da Ação Católica (1965-1977), Diretor Espiritual do Secretariado Diocesano dos Cursos de Cristandade e membro do Secretariado Nacional do mesmo Movimento (1974-1977), Professor de Educação Moral e Religiosa Católica no Liceu e na Escola Preparatória D. Afonso III, em Faro (1970-1972/77), Secretário Diocesano de Pastoral (1970-1973) e Vigário Episcopal para a Coordenação Pastoral (1973-1977).

Em Outubro de 1977, foi para Lisboa, onde frequentou a Universidade Católica Portuguesa, licenciando-se em Teologia. Trabalhava, então, nos órgãos da Conferência Episcopal Portuguesa, destacando-se o seu trabalho como Secretário da Comissão Episcopal da Educação Cristã (desde 1978) e Diretor do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), desde Dezembro de 1980, tendo a seu cargo, como representante da Igreja, os contactos com o Ministério da Educação, em matéria de educação e ensino. Também por nomeação do Episcopado foi Presidente das Comissões Nacionais Católicas para as celebrações do Ano Internacional da Criança (1979), do Ano Internacional do Deficiente (1982) e do Ano Internacional da Juventude (1985). No campo editorial, D. António Carrilho foi Coordenador Geral da vasta gama das edições do SNEC e autor de vários trabalhos no âmbito da educação cristã e catequese, nomeadamente, programas e manuais para o ensino religioso nas escolas, conferências em congressos e jornadas nacionais e diocesanas, e artigos em publicações da especialidade.

Em 2 de Fevereiro de 1996, foi nomeado Cónego da Sé de Faro, por D. Manuel Madureira Dias, Bispo do Algarve. Nomeado pelo Papa João Paulo II Bispo Titular de Tamalluma e Auxiliar do Porto, em 21 de Fevereiro de 1999. D. António Carrilho desempenhava, nessa data, as funções de: - Diretor do Secretariado Geral do Episcopado; - Diretor da Lumen - revista de reflexão e documentação pastoral; - Membro da Comissão Paritária Igreja/Estado para estudo e resolução dos problemas do património cultural de interesse comum; - Assistente Religioso da Residência Universitária "Domus Nostra" da Sociedade das Filhas do Coração de Maria, em Lisboa, assegurando aí também a assistência religiosa ao Bairro Santos - Paróquia Nossa Senhora das Dores, anexa à de Nossa Senhora de Fátima. - Conselheiro Espiritual do Movimento de Casais das Equipas de Nossa Senhora.

A ordenação episcopal de D. António Carrilho realizou-se na Igreja de S. Pedro do Mar, em Quarteira, Diocese do Algarve, na tarde do dia 29 de Maio de 1999 - Liturgia da Solenidade da Santíssima Trindade, sendo ordenante principal D. Manuel Madureira Dias, Bispo do Algarve e co-ordenantes D. Armindo Lopes Coelho, Bispo do Porto, e D. Júlio Tavares Rebimbas, Arcebispo-Bispo Émerito do Porto e antigo Bispo do Algarve. Nesse mesmo dia recebeu a Medalha Municipal de Mérito-Grau Ouro da cidade de Loulé, sua terra natal, com que foi agraciado pelo Município local. D. António Carrilho iniciou as suas funções na Diocese do Porto, no dia 3 de Junho de 1999, na igreja da Trindade, na celebração da Missa Estacional da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo, a que presidiu o Bispo Diocesano, D. Armindo Lopes Coelho, que o nomeou Vigário Geral e lhe confiou a missão de acompanhar os sectores do Apostolado dos Leigos e da Educação Cristã e o Conselho Pastoral Diocesano.

No âmbito da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), D. António Carrilho foi Vogal e Presidente da Comissão Episcopal do Apostolado dos Leigos e Vogal da Comissão Episcopal dos Bens Culturais da Igreja. No triénio de 2005/2008 foi Presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família. Em representação da CEP participou no Simpósio dos Bispos da Europa "Os Jovens da Europa na evolução - Laboratório da Fé" (Roma, 24-28 de Abril de 2002); na XIX Jornada Mundial da Juventude "Vós sois o Sal da Terra, vós sois a Luz do Mundo", com o Papa João Paulo II (Toronto 23-29 de Julho de 2002); na XX Jornada Mundial da Juventude "Viemos adorá-l'O", com o Papa Bento XVI (Colónia, 16-21 de Agosto de 2005) e V Encontro Mundial das Famílias "A transmissão da Fé na Família", com o Papa Bento XVI (Valência, 2-9 de Julho de 2006). Nomeado Bispo do Funchal, pelo Papa Bento XVI, a 8 de Março de 2007 e tomou posse da Diocese do Funchal a 19 de Maio de 2007.