Palavras do Bispo do Funchal na Conferência de imprensa de apresentação da Visita da Imagem Peregrina

Palavras do Bispo do Funchal na Conferência de imprensa de apresentação da Visita da Imagem Peregrina

 A Visita da Imagem Peregrina à Diocese do Funchal

Conferência de imprensa

Caros jornalistas:

Renovo a saudação que o Sr. Padre Marcos já vos dirigiu e agradeço também a vossa presença aqui, como serviço que podereis prestar a toda a nossa Região e Diocese, facultando a melhor informação sobre a Visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à Madeira e Porto Santo, através dos Meios de Comunicação que representais. Como sabemos, o nosso povo tem uma grande devoção a Nossa Senhora, gosta e quer saber tudo aquilo que se vai passar.

Aquilo que eu tenho para vos dizer está em síntese na Mensagem à Diocese, que publiquei em 15 de Janeiro passado, como anúncio e razão de ser da Visita e os objetivos que a mesma se propõe.

Trata-se de um projeto nacional: um projeto do Santuário de Fátima, que a Conferência Episcopal assumiu, no âmbito do programa de preparação para o centenário das aparições de Nossa Senhora aos pastorinhos da Cova da Iria, a celebrar em 2017, com a presença do Papa Francisco (assim o esperamos). Um projeto nacional que leva a Imagem Peregrina a todas as Dioceses do País, durante um ano, de Maio de 2015 a Maio de 2016. Coube à nossa Diocese a data de 13 de Fevereiro a 6 de Março.

Como disse na Mensagem à Diocese, “teremos, assim, a graça de uma nova Visita da Imagem Peregrina, que ainda recentemente, de 12 de outubro de 2009 a 13 de maio de 2010, percorreu a nossa Diocese, durante sete meses, congregando assembleias, tocando corações e consciências, estimulando atitudes de conversão e vida nova em Cristo.

Esta última visita continua, sem dúvida, bem viva na memória de um grande número de fiéis, que acolheram Nossa Senhora no aeroporto da Madeira, participaram naquela noite de luz e de fé, na chegada ao Funchal, ou se envolveram em tantos outros percursos e celebrações, momentos de particular densidade espiritual para as comunidades cristãs e muitas outras instituições, escutando e aprofundando, em clima de oração e de festa, os ensinamentos e apelos da Mensagem de Fátima”.

Como também fiz notar, desta vez a Visita da Imagem Peregrina dispõe de um programa de apenas três semanas, mas “num tempo de especial riqueza espiritual:

nas três primeiras semanas da Quaresma e em pleno Ano Santo da Misericórdia. O tempo disponível é reduzido e não permite a organização de programas tão alargados como desejaríamos, pelo que, feitas as devidas auscultações, optámos por visitas aos arciprestados, confiando a cada um a organização do programa respetivo, dentro do tempo que lhes foi destinado e de alguns critérios do próprio Santuário de Fátima”.

O programa geral da Visita já foi publicado, mas há muitos outros elementos que o podem completar, com informações sobre os programas preparados pelos arciprestados e sobretudo o que se refere à chegada da Imagem Peregrina, no próximo dia 13 (aeroporto, Praça do Município, procissão para a Sé) e à sua despedida, no dia 6 de Março, em percurso inverso (Sé, aeroporto, regresso a Fátima).

Como projeto nacional, a propósito desta visita da Imagem Peregrina às Dioceses de Portugal, publicou a Conferência Episcopal, com data de 16 de abril 2015, uma Nota Pastoral em que salienta o bom acolhimento que lhe deverá ser prestado e o sentido evangelizador da mesma.

Ficam bem claros os objetivos que o Santuário e as Dioceses têm em vista com esta Visita,  destacando dessa Nota o seguinte: “Aproveitamos este momento de graça para convidar o Povo de Deus a entrar em profundidade na celebração da sua fé, particularmente por meio da participação da Eucaristia, da celebração do Sacramento da Penitência e da Unção dos Doentes; para incentivar a oração de adoração diante do Santíssimo Sacramento, tão caraterística da espiritualidade de Fátima; para relançar o hábito da devoção mariana do Rosário nas famílias cristãs, acompanhada pelas meditações bíblicas e pelo silêncio contemplativo”.

E, nesta hora, resta-me repetir para os queridos diocesanos da Madeira e Porto Santo as recomendações que os Bispos dirigiram aos Católicos de todo o País: “pedimos a todos que acolham a Imagem da Virgem Peregrina com sobriedade e que a visita seja ocasião de solicitude e partilha com os pobres […] A todos exortamos a acolherem a Virgem Peregrina de Fátima como a imagem da “Igreja em saída”, que vai ao encontro dos seus filhos e filhas em todas as periferias, para lhes levar o anúncio de Jesus Cristo como o único Salvador”.

 

Funchal, 4 de Fevereiro de 2016

†António Carrilho, Bispo do Funchal

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação