Palavras do Bispo do Funchal na Celebração do Acolhimento

Palavras do Bispo do Funchal na Celebração do Acolhimento

Palavras de D. António Carrilho, Bispo do Funchal

na Celebração do Acolhimento da Imagem Peregrina

de Nossa Senhora de Fátima

 

Praça do Município, 13 de fevereiro de 2016

 

“Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor” (Lc 1,43)

 

Irmãos e irmãs,

“Donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor” (Lc 1,43) - exclamou Isabel ao receber a visita de sua prima, a jovem Maria de Nazaré, escolhida por Deus para mãe de Seu Filho Jesus.

Hoje, é também com grande emoção e alegria que recebemos, em festa, a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima. Toda a nossa Diocese se alegra com a sua visita e a acolhe com todo o coração. No centro da nossa cidade, nesta praça tão bela e mais bela ainda, nesta noite, iluminada pela luz da fé de tão grande assembleia, aqui estamos para acolher a Virgem Peregrina, na riqueza da Mensagem, que traz consigo, e na certeza da sua proteção maternal.

Está ainda muito presente a sua última visita à nossa Diocese, durante sete meses, em 2009 e 2010. Está, sem dúvida, bem viva essa visita na memória de um grande número de fiéis, que acolheram Nossa Senhora no aeroporto da Madeira, participaram naquela noite de luz e de fé, na chegada aqui ao Funchal, ou se envolveram em tantos outros percursos e celebrações, momentos de particular densidade espiritual para as comunidades cristãs e muitas outras instituições, escutando e aprofundando, em clima de oração e de festa, os ensinamentos e apelos da Mensagem de Fátima.

Hoje, vem de novo até nós, numa visita integrada no projeto nacional de percorrer todas as dioceses de Portugal, na preparação para as comemorações do centenário das aparições da Cova da Iria. De hoje, dia 13 de Fevereiro, até ao próximo dia 6 de Março, a mesma Imagem que nos visitou em 1948, irá percorrer as ilhas da Madeira e do Porto Santo, não por paróquias mas por arciprestados (conjuntos de paróquias), num tempo especial de graça, que é o tempo da Quaresma e em pleno Ano Santo da Misericórdia.

Seja, pois, para todos um tempo de alegria para, com a mediação de Maria-Mãe, nos aproximarmos mais de Deus, crescendo na fé, na esperança e na caridade. Um tempo que nos ajude a viver e a transmitir aos outros a Mensagem que nos exorta à conversão do coração, à oração mais intensa e ao esforço de vencer o mal e o pecado, com a luz, a alegria e a beleza do bem, nomeadamente pela prática das obras de misericórdia. E sintam os pais o apelo interior e a vontade de rezar em família a oração do terço, recomendada pela Senhora do Rosário, em Fátima.

Eis-nos aqui a vossos pés, ó Maria. Somos teus filhos, roga a Deus por todos nós! Olha com o teu olhar maternal, de paz e serenidade, para todas as famílias; protege, de modo particular, as crianças e os jovens, os idosos e os doentes, os migrantes e refugiados, todos os que mais precisam de ajuda. Dá-nos um coração forte para amar, para perdoar, para abraçar as causas da verdade e da justiça, com ousadia e coragem. E que a Igreja seja, no mundo, verdadeira testemunha da misericórdia de Deus para com todos.

E, nesta hora, exorto os queridos diocesanos da Madeira e Porto Santo a que acolham a Imagem da Virgem Peregrina com o entusiasmo, a sobriedade e a alegria da fé, e que a visita seja ocasião de solicitude e partilha com os pobres; a todos exorto a acolherem a Senhora de Fátima como a imagem da “Igreja em saída”, que vai ao encontro dos seus filhos e filhas em todas as periferias, para lhes levar o anúncio de Jesus Cristo como o único Salvador.

E agora, irmãos, escutemos a Palavra de Deus, cantemos e rezemos o terço pela nossa Diocese, pelo Papa Francisco e suas intenções, e por toda a Igreja. Coloquemos no coração de Maria as nossas preces, necessidades e aspirações, e caminhemos, depois, para a Sé com as nossas velas acesas, como luz que ilumina os caminhos da nossa vida e torna presente, na escuridão da noite, a luz do testemunho da nossa fé. 

Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Causa da nossa Alegria, Rainha da Paz, rogai por nós!

 

Funchal, 13 de Fevereiro de 2016

†António Carrilho, Bispo do Funchal

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

 

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação