Cumprimentos de Natal ao Bispo do Funchal

Cumprimentos de Natal ao Bispo do Funchal

"Um encontro de família", assim classificou D. António Carrilho o evento realizado hoje na Cúria Diocesana, para a apresentação de cumprimentos de Natal, com a presença de sacerdotes, diácono, leigos e religiosos (as), e seminaristas. Na ocasião, o bispo do Funchal agradeceu o "testemunho de comunhão" e enalteceu os diferentes "carismas e vocações", em "corresponsabilidade e participação na missão comum da Igreja", sinal do "compromisso e testemunho em levar também para a sociedade o amor de Deus".


"Todos somos responsáveis na Igreja" e "não trabalhamos pelas recompensas, mas pela alegria de servir", sublinhou, apesar das "dificuldades, sofrimentos e exigências do trabalho apostólico". Mas, só assim, agindo como "Igreja em comunhão, em esforços conjuntos nos projetos e ações comuns", é possível "dar respostas às necessidades do mundo", disse no seu discurso de saudação aos presentes neste encontro.


 Em referência ao ano pastoral que está a terminar, D. António destacou a vivência do "Ano da Misericórdia" que continua a ser atual, pela "exigência, empenho e generosidade em se construir algo" a favor de todos. E lembrou a dedicação dos párocos, instituições e movimentos diocesanos em relação às famílias e população vítimas dos recentes incêndios.


 Para o próximo futuro, e a partir do lema para o novo ano pastoral - "Viver em Igreja a alegria de ser cristão", o bispo do Funchal convidou à mobilização à volta dos "500 anos da Dedicação da Catedral", a celebrar a 18 de outubro de 2017;  e elegeu o "Centenário das aparições de Nossa Senhora em Fátima", em maio de 2017, com a presença do Papa Francisco, como um momento para "uma experiência profunda de fé e de conversão para cada um de nós".


Da parte dos sacerdotes, leigos e religiosos, manifestou-se também o empenho em "cooperar" com a diocese nas propostas para o novo ano. Os vários oradores: cónego José Fiel de Sousa, vigário-geral, em nome do clero; o padre Manuel Dias (carmelita), em nome dos consagrados; e Maria José Moreira, em representação do laicado, relevaram ainda a "disponibilidade" e o "diálogo" como instrumentos indispensáveis em todos os campos da acção pastoral.

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação