Nossa Senhora Peregrina na Ponta do Sol

20-02-2016 20:57

A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima está a partir desta noite (20 de fevereiro) na igreja paroquial da Ribeira Brava, vinda da igreja paroquial da Ponta do Sol, prosseguindo assim o seu programa de visitas aos arciprestados e como preparação de todas as dioceses do nosso país para o centenário das aparições, no próximo ano.

Na comunidade paroquial de Nossa Senhora da Luz, este dia de sábado foi preenchido com vários momentos de oração, salientando-se a celebração para os doentes e os idosos; e a missa de despedida que reuniu muitos fiéis e alguns sacerdotes.

Estas celebrações foram presididas pelo padre Johnny Sé Aguiar (pároco da Ponta do Sol, Conceição e Tabua), que na sua mensagem dirigida aos presentes na celebração para os mais idosos e doentes destacou o significado e a importância do sacramento da Santa Unção; tendo ainda recordado a coincidência das visitas de Nossa Senhora à Ponta de Sol, no mês de fevereiro: “em 2010, no meio de uma tempestade, e agora com bom tempo”, disse. “Hoje rezamos pelas vítimas e famílias afetadas pelo temporal em 2010. Nossa Senhora acompanha-nos no nosso peregrinar, está sempre entre nós, nos momentos bons e difíceis da vida, como sinal da presença de Deus”, acrescentou.

Para Maria Pita, “esta visita marca-nos muito e não é a primeira vez que somos uns privilegiados, mas, também a Imagem de Nossa Senhora nunca fica só aqui na igreja, há muitos devotos, muita fé, como se está a ver. É um verdadeiro milagre tudo o que está a acontecer”, referiu esta paroquiana da Ponta do Sol.

A gratidão pela presença da Mãe ficou ainda assinalada pela grande participação de fiéis nas cerimónias religiosas deste sábado, vindos até dos Canhas, Carvalhal, Madalena do Mar e Cristo Rei. “É extraordinário e motivo de muita alegria, sem dúvida”, referiu, por seu lado, o cónego António Rebola, nascido e batizado na Ponta de Sol, e que se lembra bem da primeira visita da Imagem Peregrina à Madeira, em abril de 1948, era então seminarista. “Foi grandioso e muito edificante para todos, como a procissão de velas pelas ruas da cidade, inesquecível; e depois com a segunda passagem nesse mesmo ano, em que Nossa Senhora trouxe uma pedra do Santuário para a construção da igreja do Imaculado Coração de Maria”, confessou o sacerdote que nos últimos anos foi pároco de Santo António, no Funchal.

Por seu lado, o Irmão José de Jesus Borges, religioso franciscano, natural da Ponta do Sol, e que participou nestes dias em todas as manifestações de fé à volta da Imagem Peregrina na igreja de Nossa Senhora da Luz, tem também gratas lembranças da primeira visita de Nossa Senhora à nossa diocese, há 68 anos: “Nessa altura eu tinha 14 anos, andava no segundo ano do seminário, e lembro-me bem da grande procissão de velas e da missa campal na Rotunda do Infante, em que o pregador foi um padre franciscano. Ainda recordo as primeiras palavras da sua homilia – ‘Arraial, arraial, pela Virgem de Fátima, Rainha de Portugal”.

Neste domingo, dia 21, a Imagem Peregrina despede-se do arciprestado da Ribeira Brava e Ponta do Sol com uma missa campal na Ribeira Brava às 16 horas, presidida por D. António Carrilho; seguindo depois para o arciprestado da Calheta, com chegada à Central da Calheta e procissão das velas para a igreja paroquial da Atouguia.

Voltar

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação