Imagem Peregrina em Machico

28-02-2016 08:57

Milhares de pessoas participaram na noite deste sábado (27 de fevereiro) na cerimónia de acolhimento à Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, no arciprestado de Machico/Santa Cruz, vinda do arciprestado de Santana. Apesar da chuva "miudinha" e persistente, a multidão concentrou-se primeiro no Largo da Capela da Graça, incorporando-se depois na procissão da velas até à igreja matriz de Machico. À sua chegada, a Virgem de Fátima foi saudada com uma "grandiosa manifestação de fé", com músicas de Fátima interpretados pela Banda Municipal, balões em forma do "terço", largada de pombos, e breves palavras pelo arcipreste local, padre Duarte Gomes. A cerimónia contou ainda com a presença de D. António Carrilho, vários sacerdotes e entidades oficiais.

Grupos de leigos representativos das comunidades paroquiais, acólitos, escuteiros, confrarias e uma multidão de fiéis encheram os espaços públicos num silêncio solene e com especial devoção. O mesmo se verificou no interior da igreja matriz, num ambiente muito bem preparado e a condizer com a entrada solene de Nossa Senhora que "vem até nós para nos conduzir até ao seu Filho e com Ele até ao Pai", assinalou o bispo do Funchal numa breve saudação, em que falou do significado da "presença e da mensagem da Mãe". Na ocasião, explicou que "não adoramos imagens, mas veneramos com apreço e gratidão Nossa Senhora e por Ela queremos chegar mais próximo de Jesus". Salientou a frase que se lia nos cartazes à entrada da igreja matriz de Machico - "No coração Imaculado de Maria descobre o Filho e caminha na esperança", para dizer que "neste encontro do Filho através da Mãe nos alimentamos da força espiritual tão necessária para todos os dias em que há circunstâncias, situações, dificuldades, problemas, que podem contribuir para uma fé menos viva".

O bispo do Funchal pediu também uma oração comunitária, três Avé- Marias: uma, pelas "paróquias do arciprestado de Machico/Santa Cruz"; outra pelos "emigrantes, doentes e ausentes"; e a terceira pelas "intenções do Papa Francisco e por todos quantos testemunham as obras de misericórdia".

A finalizar esta cerimónia na igreja paroquial de Machico, falou o pároco local, cónego Manuel Martins, que classificou de "momento forte para a comunidade" o que estava a acontecer em termos de fé e de vivência espiritual. "no coração da Mãe descobre o Filho que ama e caminha com esperança. Num mundo que sofre, é a Mãe que vem para ser conforto nas dores dos seus filhos", sublinhou com voz emocionada.

Após estes momentos, foi celebrada a Eucaristia. Para este domingo (dia 28), estão previstos vários tempos de oração e celebrações, até às 18 horas, em que haverá a missa de despedida da Imagem Peregrina para a paróquia do Caniço.

"Uma grande graça e um motivo de muita alegria, porque Nossa Senhora está sempre no nosso coração, não é preciso ser muito culto para entender isto", disse Maria Melim a propósito desta visita a Machico. "É uma honra termos cá a Imagem Peregrina que anda pelo mundo inteiro a mostrar os caminhos de Deus, então não é uma graça, só não vê quem não quer",.  considerou João Olim Marote. "Tudo quanto se possa dizer sobre Nossa Senhora é sempre pouco, o que sabemos vem do fundo do coração, os nossos antepassados já transmitiram esta devoção, digam o que disserem, queremos seguir os passos de Jesus e se a Mãe vem até aqui é um sinal de fé muito especial", garante Maria José Martins.

Voltar

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação