4º Domingo da Páscoa - Dia de Oração pelas Vocações

15-04-2016 13:43

IV Domingo da Páscoa (C) – Domingo do Bom Pastor – 53º Dia Mundial de Oração pelas Vocações

Unidade na pluralidade de uma Igreja que é Mãe de Vocações

Vivemos num tempo de tanta facilidade de movimento, de comunicação e de informação resultantes das novas tecnologias e de meios de transporte mais rápidos.

A globalização tende a que todos formemos um mesmo pensamento, consequência do predomínio de quem tem mais poder na informação, no mercado ou na política.

A Igreja do Ressuscitado é algo muito diferente. É um Povo aberto a todos os povos, raças, línguas, culturas, tradições, mentalidades e estilos. É a Igreja católica ou universal. A Igreja é a casa de todos e para todos.

Quando o ressuscitado entrou numa casa com as portas fechadas, mostrou que não havia paredes, portas, abismos ou distâncias que pudessem impedir a comunicação ou a comunhão entre os “ressuscitados”:  Começava assim a existir um novo mundo, um novo povo, livre das condicionantes de espaço e de tempo. Nascia a comunidade dos que estavam em comunhão para lá de certos particularismos.

Aquelas portas abrem-se não para que todos entrem e se tornem judeus, assumindo leis, cultura e políticas particulares, como pretendiam os judaizantes, mas para que todos os povos pudessem ser um só povo, sem deixarem de ser eles mesmos com a sua cultura, a sua história, as suas leis.

Nenhuma porta ou fronteira pode impedir a comunhão. Começa assim a existir a Igreja como católica, e isto só pode acontecer pela ação do Espírito Santo.

Na primeira leitura deste quarto domingo de Páscoa, o relato da pregação de Paulo e Barnabé em Antioquia da Pisídia onde decidem, diante da recusa dos judeus, dedicarem-se a todos os pagãos de todos os povos, recorda-nos como esta abertura foi difícil desde o início, permanecendo até hoje.

O caminho … a comunhão da Igreja ressuscitada que nasce da convocação a escutar a Voz do seu único Pastor. Um Pastor que é um com o Pai. O Pastor que nos diz “tenho outras ovelhas que não são deste redil”.

Jesus ressuscitado, nosso bom Pastor, fez-nos filhos de Deus, chama-nos cada um pelo seu nome e convida-nos a ficar com Ele e a viver a Sua Vida.

A relação de Jesus com os discípulos está baseada no amor. Um amor pessoal. Um amor que vem do Pai. A adesão a Jesus, cuja voz somos convidados a escutar, é a caraterística dos discípulos. Ser discípulo é estar unido a Jesus, imitando o seu estilo de vida.

Conhecer e amar Jesus Cristo para segui-Lo e anunciá-Lo como Boa Nova que dá felicidade.

 

Ao celebrarmos hoje o 53º dia Mundial de Oração pelas Vocações, olhemos para o que nos diz o Papa Francisco na sua mensagem para este dia: “Todos os batizados possam experimentar a alegria de pertencer à Igreja e de, nela, redescobrir a vocação cristã geral, bem como a particular (de cada um), na comunidade que é «terra» onde toda a vocação germina, cresce e frutifica. A comunidade é, também, mediação onde somos chamados a uma vocação específica. Ela é antídoto para a indiferença e o individualismo, permitindo-nos sair de nós mesmos e a colocar toda a nossa existência ao serviço de Deus e do povo.”

 

Padre Afonso Rodrigues

Pároco de Santana e Ilha

Voltar

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação