3º Domingo da Quaresma

25-02-2016 20:01

3º DOMINGO DA QUARESMA

“Talvez venha a dar frutos”

A Quaresma é um Tempo de preparação para a Páscoa. É muito importante  a expressão “para a Páscoa”. Não podemos nunca desligar a caminhada da Quaresma do seu objetivo final, a vivência e a celebração da Páscoa. A Quaresma é um tempo de 40 dias para, primeiro do que tudo, saborear a misericórdia de Deus, saborear a Sua presença na nossa vida. Saborear a nossa filiação divina, somos batizados.

Neste sentido todas as leituras deste 3º Domingo vão descrever o nosso Deus. É um Deus atento, um Deus rico de misericórdia e cheio de compaixão. Ele importa-se por nós, somos importantes para Ele. Ele não está longe da nossa vida e das nossas preocupações. Assim como viu o sofrimento do seu Povo, na primeira leitura, assim também mostra a Sua compaixão para connosco.

A relação de Moisés com Deus não é uma relação fechada entre ambos, mas abre-se em atenção para com o Povo, para com os outros. A oração nunca nos desliga da realidade, das nossas responsabilidades ou do nosso próximo. Rezar é dialogar com Deus, mas é, ao mesmo tempo, sentir o Seu coração de compaixão por todos.

São Paulo, na segunda leitura, chama a atenção para cuidarmos do nosso ser cristão. Não basta um parecer. Não basta apenas os rituais se não houver uma vida toda ela transformada para o bem ou pelo menos uma vida em tensão para o bem, para a contínua transformação da nossa vida segundo o Evangelho. São Paulo termina a leitura com um forte aviso aos que se julgam já perfeitos e melhores que os outros: “Quem julgue estar de pé tenha cuidado e não caia”. Não vá pensarmos que a vida cristã é algo já conquistado ou garantido, mas deve ser um sim constante e diário à vontade de Deus, um caminho, uma peregrinação pela vida fora.

No Evangelho, Deus mostra a sua paciência para connosco. Na parábola da figueira Jesus mostra que Deus é paciente e espera que possamos, finalmente, corresponder ao seu amor. Talvez venha a dar frutos para o próximo ano... E tu? Tens dado frutos?

Todos somos chamados à conversão. A conversão não é apenas para o teu vizinho e para aquele ou aqueloutro. É para ti. Tu também és chamado à conversão, a voltar com todo o teu coração para Deus e de Deus para a vida com novas atitudes, carregadas do ânimo de Deus. Nesta Quaresma faz algum propósito. Como podes espelhar em ti o rosto de misericórdia de Deus?

 

Padre Marcos Gonçalves

Voltar

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação