2 de abril - Domingo da Divina Misericórdia

01-04-2016 12:45

Celebramos neste domingo a grande festa de Jesus Misericórdia!

Ao celebramos esta festa, recordamos sempre aquele belo quadro pintado depois das revelações de Jesus a Santa Faustina que nos mostra os raios de luz e esperança que brotam do lado aberto de Jesus. Raios esses, que nos mostram como a misericórdia se manifesta nos sacramentos principais da Igreja, o Baptismo e a Eucaristia.

Neste sentido, convém olhar às leituras deste domingo com essa perspectiva, de um Jesus que por grande misericórdia ama verdadeiramente a Sua Igreja, e se maninifesta na sua sacramentalidade.

Na primeira leitura, retirada dos actos dos apóstolos, vemos como o pós ressurreição foi tempo de esperança, de alegria, de crescimento. Os apóstolos depois da ressurreição partem sem medo para anunciar, converter e maravilhar os povos com a Verdade de Jesus misericórdia, isto leva-os a levar muitos até Ele.

No salmo louvaremos o Senhor Deus Pai por tudo o que de bom nos faz. É importante compreender que Jesus nos eleva na bondade, nos torna capazes do amor e nos diz que para Ele somos necessários porque tal como o Pai, "é eterna a sua misericórdia".

Na segunda leitura encontramos mais um testemunho da ressurreição, desta feita de João. O autor do Apocalipse dá testemunho que Jesus ressuscitou verdadeiramente, que Jesus está vivo pelos "séculos dos séculos". Esta palavra deve ser para todos os cristãos uma palavra de alegria, de esperança, de certeza de que é Cristo vivo e ressuscitado quem devemos, tal como João, anunciar.

Por fim, temos o relato do Pentecostes segundo São João. João mostra que Jesus quando aparece aos discípulos não discute com eles por estes se terem fechado numa sala com medo, Jesus dá a Paz. Depois invoca sobre eles o Espírito Santo. Os discípulos qua ali estavam naquele momento maravilham-se, mas faltava Tomé. Este, teve imensas dúvidas que tal tivesse acontecido, mas noutro domingo Jesus volta a aparecer e Tomé, maravilhado com o acontecimento, recebendo de Jesus a Misericórdia apenas consegue dizer "Meu Senhor é meu Deus!" É depois desta profissão de fé de Tomé que Jesus diz que são "felizes os que acreditam sem terem visto." Por isso nós os cristãos do séc. XXI, mesmo não tendo presenteado o momento da ressurreição sentimos a felicidade ao sentir o sopro leve da manhã de Páscoa, sentimo-nos capacitados para ser testemunhas do ressuscitado porque mesmo não o vendo fisicamente, Ele continua bem presente na Igreja, nos sacramentos, na bondade e ternura dos irmãos, no amor que temos uns pelos outros e sobretudo na Misericórdia que somos convidados a receber do Pai e a dar como Jesus sempre nos deu.

Padre Pedro Nóbrega

Voltar

Contactos

Diocese do Funchal
Largo Visconde Ribeiro Real, 49
FUNCHAL
9001-801

 

© 2015 Todos os direitos reservados.

Diocese do Funchal - Gabinete de Informação