Preparar o Matrimónio

Preparar o Matrimónio - CPM

Equipa diocesana:
Casal Presidente- Casal Cardoso (Dina e Luís) (968638133/964394621)
Casal Tesoureiro - Casal Nunes (Dulce e Mário) (963935610/291820019)
Casa Secretário - Casal Temtem (Cláudia e Marco) (962380075/968335539)
Assistente - Padre Rui Pontes (924155089)

Email: cpmmadeira@gmail.com


CPM - Centros de Preparação para o Matrimónio


31 janeiro 2018 pelas 20:30 - Calheta (São Francisco)

1 fevereiro 2018 pelas 20:00 - Santa Cruz

23 fevereiro 2018 pelas 20:30 - Funchal (Visitação)

6 abril 2018 pelas 20:30 - Câmara de Lobos (Carmo)

4 maio 2018 pelas 20:30 - Funchal (Nazaré)

"Ele os criou homem e mulher. Deus abençoou-os e disse-lhes: “Crescei e multiplicai-vos; enchei e dominai a terra. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem na terra”. Deus viu tudo o que tinha feito: era tudo muito bom" Gn 1, 27-31

ORGANIZAR UM PROCESSO DE CASAMENTO CATÓLICO


Casamento entre duas pessoas batizadas na Igreja Católica e residentes na Madeira e Porto Santo:

SUGESTÃO DE PASSOS A TOMAR

1. Escolher uma data para o casamento.

2. Local da celebração: A celebração do Matrimónio pode ocorrer na igreja paroquial da noiva ou do noivo ou noutra igreja paroquial ou capela. Se escolher uma capela deve reservar o livro de matrimónios na igreja paroquial da qual pertence a capela escolhida. Não podem ser celebrados fora das capelas ou igrejas paroquiais ou reitoria da igreja do Colégio.

3. Padre para a celebração do casamento: Normalmente é o padre da paróquia da noiva ou do noivo ou o sacerdote da paróquia ou capela escolhida. Na impossibilidade ou por vontade e preferência dos noivos pode escolher outro sacerdote. Deve entrar em contato com o sacerdote para ver a sua disponibilidade na data escolhida.

4. Os noivos devem informar-se sobre as datas do Curso de Preparação para o Matrimónio (CPM). O curso não é obrigatório mas muito importante na preparação católica deste passo. Informações sobre os cursos em: http://cpmmadeira.wix.com/diocesedofunchal; http://cpmmadeira.blogspot.pt

5. Crisma - o Sacramento do Crisma não é obrigatório para a celebração do Sacramento do Matrimónio, mas certamente da maior conveniência. Se não tem o crisma inscreva-se num grupo de adultos para o Crisma ou então em diálogo com o seu Pároco comprometa-se a ingressar num grupo de preparação para o Crisma depois do casamento e segundo a sua disponibilidade.

6. Quando faltar seis meses para a data escolhida para o matrimónio pode iniciar a organização do processo de casamento. Em qualquer Conservatória do Registo Civil peça um Certificado para Casamento na Igreja Católica. O certificado uma vez emitido tem validade para 6 meses. Terá de casar durante esse prazo.

7. O processo de casamento é organizado na Paróquia de residência da noiva. Quem organiza o processo é o Pároco da Noiva, independentemente do Padre que vai assistir à celebração do casamento.

8. Pode contrair casamento quem está em estado livre: solteiro ou viúvo. Deve possuir a maioridade, ter 18 anos. Se não for maior, os pais devem assinar no Registo Civil um documento de que assumem a responsabilidade pelo menor.

10. Se já tiverem casado civilmente, terão de pedir Certidão do Casamento Civil ou Boletim do Casamento, que o pároco anexará ao processo religioso.

11. Documentos necessários para o Processo religioso de Casamento.

  • Se não está casado no civil, um Certificado para Casamento passado por uma qualquer Conservatória do Registo Civil.
  • Bilhete de Identidade em dia ou cartão de cidadão.
  • Uma certidão de Batismo e Crisma com menos de seis meses. O sacerdote que organiza o processo pode passar o modelo para o efeito de recolha de toda a informação.
  • Um certificado de estado livre dos dois se tiver residido depois dos 16 anos fora da sua paróquia por mais de um ano. O certificado de estado livre é pedido em todas as paróquias onde residiu depois dos 16 anos por mais de um ano. Trata-se de provar que nunca contraiu casamento religioso.
  • Nomes e Residência completa das duas testemunhas do casamento e Fotocópias do Bilhete de Identidade das testemunhas, dentro da validade.

12. Os casamentos católicos têm efeitos no civil. A lei civil reconhece valor e eficácia de casamento ao matrimónio católico. Não pode haver casamento religioso sem o efeito no civil. Se o casal já se encontra casado no civil o casamento terá apenas efeitos religiosos.

13. Depois de concluído o Processo Religioso deve entrega-lo na Câmara Eclesiástica onde receberá o Nada Obsta para o casamento. Uma vez pagas as Taxas deve entregar o processo na Paróquia onde vai celebrar o matrimónio, ou na paróquia da qual pertence a capela onde vai celebrar o matrimónio.

14. TAXAS A PAGAR NO CASAMENTO:

NA PARÓQUIA: Organização do processo de matrimónio, incluindo todos os documentos passados pelo respetivo cartório paroquial: 25€.

NA CÂMARA ECLESIÁSTICA:

Atestação referente a processo ordinário da Diocese: 15€.

Não realização dos proclames: 7,50€.

Suplemento: transferência para uma igreja não paroquial ou Capela: 45€.

15. Preparar com o Padre que assistirá ao matrimónio a celebração e o rito.

16. Celebrar o Sacramento da Reconciliação ou Confissão.

17. Escolher um coro e combinar com o Padre os cânticos.

18. Combinar com a igreja ou capela as flores e a decoração.

19. OFERTAS: É costume dar uma oferta ao sacerdote ou à igreja ou capela, no dia da celebração.

20. CELEBRAÇÃO DO MATRIMÓNIO - MUITAS FELICIDADES.

21. ASSINATURAS: São realizadas as assinaturas no livro dos matrimónios da Paróquia e no duplicado a ser enviado pelo Pároco para a Conservatória do Registo Civil.


ORGANIZAR O PROCESSO DE CASAMENTO ENTRE NUBENTES PORTUGUESES A VIVER NO ESTRANGEIRO

O processo de matrimónio é sempre organizado na igreja paroquial católica da noiva ou do noivo. O certificado para casamento católico deve ser pedido na Embaixada de Portugal ou no Consulado. Entregar ao sacerdote que organiza o processo as certidões de batismo e de crisma (se tiver sido celebrado) e o atestado livre (Affidavit of Freedom to Marry). O atestado livre é realizado mediante duas testemunhas (podem ser os pais) que atestam que os noivos nunca celebraram matrimónio católico. Os documentos serão depois enviados entre a Diocese da residência dos noivos e a Diocese do Funchal e desta para a igreja paroquial da celebração do matrimónio. Se os noivos habitam no estrangeiro apenas por razão de trabalho, por breve tempo, o processo pode ser organizado na igreja paroquial da noiva, na Diocese do Funchal.


ORGANIZAR O PROCESSO DE CASAMENTO COM UM NUBENTE ESTRANGEIRO

O processo de casamento deve ser organizado na igreja paroquial da noiva ou do noivo na área de residência, no estrangeiro. Podem celebrar o casamento civil no estrangeiro e obter cópia da certidão do matrimónio civil para entregar ao sacerdote que está a organizar o processo. Podem não casar no civil e pedir na Embaixada Portuguesa ou Consulado um certificado para Casamento Católico. O atestado livre é optido mediante duas testemunhas dos nubentes que assinam e testemunham que as partes são solteiras (Affidavit of Freedom to Marry).

"Eu N., recebo-te por minha esposa a ti N., e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida" (Ritual do Matrimónio).