Homilia na Ordenação Sacerdotal do Carlos Ismael Almada

05-08-2017

Homilia do Sr. Bispo do Funchal na Ordenação Presbiteral do Padre Carlos Ismael Almada

Sé do Funchal, 5 de agosto de 2017.


Transfigurados em Cristo, para o serviço do Povo de Deus

"Senhor, como é bom estarmos aqui!": são estas as palavras de São Pedro a Jesus, no texto do Evangelho de hoje (cf Mt17,1-9). É este também o sentimento que inunda o nosso coração: a alegria de estarmos aqui, na Sé do Funchal, neste ano da celebração jubilar da sua Dedicação, que ocorrerá no próximo dia 18 de Outubro, e podermos fazer parte desta longa história de 500 anos do amor e da presença de Deus na vida da nossa Diocese. Lugar habitual das ordenações presbiterais, quantos sacerdotes terão sido aqui ordenados para o serviço da missão do Evangelho!

Alegramo-nos, pois, por tantos motivos que temos para dar graças a Deus, em memória agradecida do passado, mas em especial porque aqui, neste dia, o Senhor mais uma vez coloca sobre a Igreja Diocesana do Funchal o Seu olhar de misericórdia, concedendo-lhe a graça de um novo sacerdote para o serviço do Povo de Deus.

Reconhecer e agradecer

Naquele tempo Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João; também neste tempo, Jesus continua a chamar homens e mulheres, para estarem com Ele, para os associar à experiência da Sua transfiguração e revelar os mistérios de Deus, o Seu desígnio de amor. Hoje, Jesus chama o Carlos Ismael Faria Almada a estar com Ele para O seguir de forma mais íntima, a ser Seu amigo e O dar a conhecer. E ungido com o óleo da alegria e a força do Seu Espírito, se configurar mais ao Seu sagrado coração e poder agir em Seu nome.

Caríssimo Carlos Ismael, vais receber o dom do ministério ordenado, nesta festa da Transfiguração do Senhor. O Senhor chama-te ao sacerdócio, quer envolver-te na Sua luz e no Seu amor. O Senhor quer contar contigo para continuar a Sua missão no mundo de hoje, para desempenhares na Igreja, em Seu nome e como colaborador do Bispo, o ministério sacerdotal a favor dos homens e mulheres nossos irmãos.

Damos, por isso, graças a Deus pelas maravilhas que Ele fez e faz na tua vida; damos graças por todos aqueles que para ti, ao longo dessa tua vida, foram sinais de Deus e te acompanharam desde as tuas raízes, na tua família e na paróquia do Campanário; damos graças também pelos que, de algum modo, te apoiaram e te ajudaram, nos Seminários, aqui no Funchal e em Lisboa, em São José de Caparide e nos Olivais, na Universidade Católica e nas paróquias, que te proporcionaram experiências de estágio pastoral. Em suma, damos graças a Deus por todos os que te ajudaram a crescer, a discernir e a optar pela vocação assumida.

Queres oferecer-te a Deus? Sim, quero!

"Quereis oferecer-vos a Deus? Sim, queremos!". Carlos Ismael, foram estas palavras de Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos que tu escolheste como lema para o teu sacerdócio. Deus te ajude a manter em toda a tua vida esta determinação e esta fidelidade arreigada na confiança d'Aquele que te chamou e tudo pode. Confia sempre no Senhor. Ele é fiel. E quando nos chama também nos capacita para a missão. Contemplar o Senhor transfigurado não é convite ou estímulo a fugir do mundo e das responsabilidades que temos nele, mas é força que nos faz descer do monte e assumir a missão, anunciar o Evangelho da vida. É seguir o Senhor até ao dom de nós mesmos, para o bem da Igreja e da humanidade.

E diante deste caminho cheio de desafios, nós confiamos n'Aquele que nos chama. "Levantai-vos e não temais" são as palavras que Jesus dirige aos seus discípulos: palavras e sentimentos que sempre nos devem marcar, para que, firmes no Senhor, realizemos a missão com serenidade, com humildade, com o coração n'Aquele que nos sustenta e fortalece.

"Erguendo os olhos, eles não viram mais ninguém, senão Jesus". E ao longo da vida, nos trabalhos e alegrias, diante dos medos e dificuldades, coloquemos o nosso olhar em Jesus. Com Ele nunca estamos sós. Seja Ele, o Bom Pastor, a referência do nosso sacerdócio, Ele que veio não para ser servido mas para servir e para buscar e salvar o que estava perdido. Seja Ele a nossa força e a nossa alegria! Seja Ele o companheiro e amigo na caminhada da vida.

Anunciar e testemunhar a alegria do Evangelho

Diz-nos o Profeta Isaías na primeira leitura: "O Espírito do Senhor está sobre mim porque o Senhor me ungiu e me enviou a anunciar a boa nova..." (Is 61, 1). E no texto do Evangelho ouve-se a voz do Pai apontando para Jesus: "Este é o meu Filho muito amado, escutai-O" (Mt 17). Trata-se de escutá-l'O sempre de novo para O anunciar com entusiasmo e alegria.

Caríssimo Carlos Ismael o Senhor chamou-te ao sacerdócio para anunciares com alegria o Seu Evangelho. Meditando na Palavra de Deus, procura crer o que lês, ensinar o que crês e viver o que ensinas. Seja o teu ensino alimento para o Povo de Deus e o teu viver motivo de alegria para os fiéis de Cristo, para edificares, pela palavra e pelo exemplo, a nossa Casa que é a Igreja da qual somos pedras vivas. E seja a Eucaristia fonte constante de renovação do dom do sacerdócio e fonte de misericórdia para conduzir, guiar, animar, apascentar o povo que nos está confiado. "A nossa missão, diz o Papa Francisco, é unir dois corações que se amam: o do Senhor e o do seu Povo" (Alegria do Evangelho, nº143).

Aprender a escutar o Senhor é também caminho para aprender a escutar os outros nossos irmãos, nas suas alegrias, anseios, tristezas e preocupações. O padre é alguém que permanece sempre próximo do seu Povo. O Espírito do Senhor está sobre ele para o tornar consolador dos tristes e capaz de uma palavra de ânimo e de esperança, que liberta e quebra as cadeias que oprimem. O acolhimento e todas as expressões da caridade pastoral são formas concretas do caminho da nossa santificação, através do exercício do ministério, que alegremente assumimos.

Diocese, Igreja jovem com os jovens

"Como é bom estar diante de um jovem sacerdote, porque nele vejo a juventude da Igreja", dizia o Papa Francisco num encontro com o clero, em Roma. Esta também é a nossa alegria e a alegria de toda a Igreja. É por isso que, no próximo ano, em Outubro de 2018, o Santo Padre reunirá em Roma o Sínodo dos Bispos sobre "Os jovens, a fé e o discernimento vocacional". É pura manifestação da solicitude da Igreja pelos jovens, uma oportunidade para que a Igreja Diocesana realize um caminho de revisão, reflexão e renovação pastoral, tendo na devida atenção os jovens e as questões fundamentais com que se debatem, designadamente o sentido da vida e a importância da fé na busca da felicidade.

E é neste sentido que o programa pastoral da Diocese (2017-2018) apontará para uma "Diocese, Igreja jovem com os jovens", um grande desafio para todos nós e, de forma especial, para os jovens cristãos, os movimentos e obras de pastoral juvenil. Como dizia o Papa São João Paulo II, "A Igreja será jovem, quando os jovens forem Igreja"!

Que através do nosso testemunho de pessoas consagradas, alegres e felizes, os jovens possam sentir o inquietante desafio do Senhor: "Vem e segue-Me". Que a Igreja saiba acompanhar os jovens no seu caminho rumo à maturidade, para que, através de um processo de discernimento, cada um possa descobrir o seu projeto de vida e realizá-lo com alegria, abrindo-se ao encontro com Deus e com os outros, participando ativamente na edificação da Igreja e de uma sociedade mais humana e fraterna.

É simples, mas reflete a história de muitos outros jovens, o testemunho do Carlos Ismael a este propósito. Diz-nos assim: "Tudo começou com um convite de Deus: Carlos, segue-Me! Não sabia como seria este caminho, mas no fundo do meu coração e na realidade que encontrava eu sentia que encabeçava por boas veredas. O segredo esteve em colocar-me disponível para perceber se a minha vontade coincidia com a vontade de Jesus. Sabia que o meu futuro passava por uma vida cristã, mas não sonhava entrar no Seminário. Hoje, mais do que realizado e feliz, sinto que na minha vida cumpro a vocação à qual sou chamado. Eu acredito que abdiquei da minha vida pessoal para ajudar outras pessoas a encontrarem novos caminhos: uma vida com Deus. E isso, para mim chega!". Caros jovens, como é importante encontrar cada um o seu caminho e ser feliz no caminho que encontra! Que se faça luz e essa luz se torne clara expressão da vontade de Deus para cada um.

Jubileus sacerdotais

A terminar, ao mesmo tempo que felicito o novo sacerdote pela generosidade e alegria do "sim", na disponibilidade para o serviço do Povo de Deus, saúdo também aqueles que, em 2017, celebram jubileus das suas ordenações presbiterais: 25 anos (Bodas de Prata), os Cónegos Manuel Martins e Vítor dos Reis Franco Gomes e os Padres João Humberto de Vasconcelos Mendonça, José Luís Gouveia de Sousa e José Afonso Nóbrega Rodrigues. Bendizemos o Senhor pela vida e ministério destes sacerdotes e para cada um imploramos as Suas maiores Bênçãos.

E lembrando as palavras do Papa Bento XVI ao encerrar o Ano Sacerdotal, também eu vos digo: "Queridos sacerdotes, dou graças a Deus pelo que sois e pelo que fazeis, recordando a todos que nada jamais substituirá o ministério dos sacerdotes na vida da Igreja. A exemplo e sob o patrocínio do Santo Cura d'Ars, perseverai na amizade de Deus e deixai que as vossas mãos e os vossos lábios continuem a ser as mãos e os lábios de Cristo, único Redentor da humanidade".

Servir como Maria

E por fim, a Maria, Mãe da Igreja e nossa Padroeira, Rainha do Clero, confio todos os nossos sacerdotes, seminaristas e jovens em discernimento vocacional. Que eles se deixem conduzir pela novidade do Espírito de Deus e respondam, com alegria, entusiasmo e empenho, à própria vocação, na fidelidade e inteira disponibilidade para servir, como Maria.

Funchal, 5 de Agosto de 2017

† António Carrilho, Bispo do Funchal